Clínica

9

Equipa

9

Primeira Consulta

9

Paciente Internacional

9

Tecnologia e Inovação

9

Pagamentos e Financiamento

Tratamentos

9

Branqueamento Dentário

9

Cirurgia Oral

9

Dentisteria

9

Endodontia

9

Tratamentos Endodônticos

9

Higiene Oral

9

Implantes Dentários

9

Oclusão e Bruxismo

9

Odontopediatria

9

Ortodontia

9

Periodontologia

9

Reabilitação Oral

9

Saúde Mental

9

Sono

Conhecimento

9

Formação

Preparamos o futuro com formação especializada

9

Blog

Saiba mais sobre nós e o trabalho da nossa equipa nestes artigos de blog

9

Imprensa

Laser

A aplicação do Laser na Medicina Dentária

A Medicina Dentária tem evoluído rápida e continuamente. Muita dessa evolução deve-se ao desenvolvimento de técnicas minimamente invasivas, que têm como objetivo a preservação das estruturas orais, como é o caso do Laser.

O Laser, sigla para Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation, é utilizado em Estomatologia desde 1989 e apresenta diferentes aplicações nesta área. Trata-se de um feixe de luz colimado, com diferentes comprimentos de onda, cujas propriedades podem ser usadas de forma terapêutica em diferentes áreas e que não provocam alterações nefastas no núcleo das células, como a radiação ionizante. 

Em Medicina Dentária, são utilizados essencialmente 3 tipos de Laser:

  • Laser díodo;
  • Laser neodymium;
  • Laser erbium.

Nestes grupos existem diferentes tipos de Laser que são classificados de acordo com o seu comprimento de onda, tendo, por isso, diferentes aplicações. O Laser de erbium, um Laser de alta potência, é um dos que tem maior aplicação na Medicina Dentária, sendo comprovadamente muito seguro.

As principais indicações do Laser

Geralmente, o Laser pode ser usado para todos os procedimentos de Medicina Dentária ablativos, como a remoção de lesão de cárie, descolamento de facetas dentárias ou cirurgia. Pode ser usado tanto em gengivoplastia como na cirurgia de sisos ou de implantes dentários, remoção de lesões ou tumores, despigmentação gengival, descontaminação de canais nas desvitalizações, descontaminação da superfície dos implantes dentários, tratamento de peri-implantite, entre outros.

Devido à sua ação anti-inflamatória, analgésica e bioestimulante, o Laser pode ser utilizado para reparação tecidual, após tratamento de canal ou lesões traumáticas, na redução de edema.

A Laserterapia também se tem vindo a mostrar eficaz no tratamento da hipersensibilidade dentinária, que está associada a uma dor aguda, súbita e de curta duração. Esta hipersensibilidade pode ocorrer durante ou após a restauração dentária, pela retração da gengiva, e após branqueamento dentário. Também é utilizado na presença de herpes simples e herpes-zóster.

Pode ainda ser utilizado em casos de roncopatia, mediante avaliação prévia. Os tecidos moles causadores da doença ficam mais firmes, pela ação do Laser, reduzindo a obstrução da via aérea e, como tal, o som causado pela flacidez destes mesmos tecidos.

Áreas de aplicação do Laser

Além dos exemplos dados acima, há outras aplicações do Laser que agora destacamos por área de especialidade em Medicina Dentária.

Reabilitação Oral

  • Remoção de facetas dentárias cerâmicas sem desgastar a estrutura dentária remanescente;
  • Recontorno gengival do sorriso através de gengivectomia;
  • Peeling gengival com remoção de melanina;
  • Remoção de restaurações desadaptadas em resina composta e/ou cerâmica.

Implantologia Oral

  • Ablação (corte) óssea precisa e minimamente invasiva;
  • Cirurgias de exposição de implantes dentários facilitadas;
  • Tratamento efetivo para peri-implantites;
  • Descontaminação óssea seletiva de osso não-saudável;
  • Promoção da integração do implante dentário no osso, estimulando os fatores de crescimento ósseo.

Periodontologia

  • Desbridamento de bolsas e promoção do efeito bactericida (desinfeção);
  • Ablação precisa e seletiva;
  • Remoção seletiva e precisa de cálculo (tártaro);
  • Cirurgia minimamente invasiva com rápida cicatrização óssea e gengival;
  • Redução de infeções e desconforto pós-operatório.

Dentisteria

  • Ablação precisa e seletiva de lesões;
  • Sem vibração, sem microfraturas e sem aumento da temperatura, gerado pela excessiva rotação dos instrumentos;
  • Efeito bactericida na descontaminação de dentina remanescente;
  • Sem necessidade de uso de anestesia, na maioria dos casos.

Odontopediatria

  • O método preferido pelas crianças, por ser menos ruidoso e sem vibrações, diminuindo o medo;
  • Tratamentos ligeiros, precisos e minimamente invasivos;
  • Excelente desinfeção da dentina contaminada com garantia de sucesso nos procedimentos restauradores;
  • Desinfeção eficiente de pontos e fissuras oclusais, inclusive nas zonas mais profundas.

Endodontia

  • Acessos minimamente invasivos, sem aquecimento ou microfraturas;
  • Eficiência bactericida ao remover a smear layer, limpando e desinfetando os canais;
  • Apicectomia, realizada de forma minimamente invasiva e com acessos facilitados.

Cirurgia Oral

  • Corte ósseo realizado de forma precisa e seletiva, mantendo a integridade dos tecidos;
  • Osteotomias atraumáticas (sem trauma);
  • Desgaste ósseo sem aquecimento;
  • Estimula os fatores de crescimento, promovendo uma eficiente cicatrização óssea.

Patologia Oral

  • Cirurgia de tumores orais minimamente invasiva;
  • Corte preciso para biópsia e diagnóstico histológico de forma segura;
  • Ferramenta de eleição para o tratamento da osteonecrose em pacientes submetidos a tratamentos com bifosfonatos;
  • Reduz os sintomas de forma eficiente nas mais diversas patologias orais.

Vantagens do tratamento com Laser

O Laser não é uma simples ferramenta, mas antes uma alternativa que apresenta vantagens a outras soluções, como:

  • Índice de dor quase inexistente, durante o tratamento;
  • Redução de hemorragia;
  • Rápida cicatrização;
  • Redução do desconforto, como o edema pós-operatório;
  • Função descontaminante, evitando, em determinados procedimentos, a necessidade do uso de antibiótico e reduzindo a incidência de infeções pós-operatórias;
  • No caso de remoção de facetas dentárias, permite que aconteça sem desgaste do esmalte e sem aumento da sensibilidade dentária, causado pelo sobreaquecimento das brocas, preservando ao máximo a estrutura dentária;
  • O número de consultas pode ser reduzido e, não necessitando de sutura (pontos), também dispensa a consulta de remoção de sutura.

 

Quem pode ser tratado com Laser?

Todos os pacientes são passíveis de ser tratados com Laser. No entanto, é contraindicado em:

  • Grávidas, por uma questão de segurança;
  • Pacientes oncológicos não curados ou durante o tratamento ativo, uma vez que, se não for usado em segurança, pode estimular células neoplásicas;
  • Pacientes com herpes labial ou intraoral ativo;
  • Pacientes sob tratamento com isotretinoína (medicação para o acne), pela hipersensibilidade à radiação, da mesma forma que devem ter especial cuidado com a radiação solar.

Em qualquer aplicação, devem cumprir-se sempre criteriosos protocolos de segurança, para o Médico Dentista e o paciente.