Aplicamos frequentemente a expressão “de pequenino é que se torce o pepino” quando nos referimos a coisas que os mais novos devem aprender a fazer desde cedo. Ter cuidados com a higiene oral é uma dessas coisas. E pode parecer prematuro levar um bebé ou uma criança ao dentista, tendo uma aparente dentição correta; mas não é. Pode haver outros problemas que passem despercebidos aos pais e para os quais um especialista os irá alertar. Para além disso, uma criança que se habitue a ir ao dentista desde cedo, dificilmente desenvolverá aquele medo tão comum destas visitas tão importantes.

Mas como também há cuidados a ter fora do consultório, a Dra. Joana Costa — também conhecida como Fada do Dente — partilha aqui algumas dicas fundamentais de odontopediatria!

1. A chupeta “certa”

Há muitos mitos relativamente à saúde oral das grávidas, à odontopediatria e à medicina dentária no geral. Mas se há coisa que sempre ouvimos dizer, e que está totalmente correta, é que as chupetas são desaconselhadas. Porém, sabendo que para alguns bebés e crianças a chupeta é um verdadeiro calmante, não se esqueça do seguinte, caso queira mesmo dar uma chupeta ao seu bebé:

  • Não prender fitas ou fraldas à chupeta, aumentando o peso da mesma — isto obriga a criança a fazer mais força, alterando as arcadas dentárias e os músculos da boca;
  • O bico deve ser macio e com um formato mais espalmado, permitindo que a criança feche a boca ao máximo – as chupetas com um bico completamente redondo são as menos indicadas;
  • O material deve ser leve, resistente e com um escudo labial côncavo e respirável, por forma a evitar a acumulação de bactérias;
  • Nunca revista a chupeta com açúcar ou algo doce para a tornar mais apetecível — entre as várias contraindicações, irá aumentar a probabilidade do aparecimento de cáries.

2. Fio dentário para os mais pequenos

Não, não é precoce. Também as crianças devem usar fio dentário a partir do momento em que haja contacto entre os dentes. Os problemas que acontecem aos adultos por não usarem fio dentário podem, igualmente, ocorrer nas crianças.

Para simplificar a introdução desta rotina, pode optar por adquirir fios dentários com cabo, que são desenhados a pensar nas bocas dos mais pequenos e que, por isso, são mais ergonómicos. Isto para não falar dos sabores de frutas que alguns desses cabos têm!

3. A melhor posição para escovar os dentes

Para crianças que ainda não tenham a coordenação necessária para escovar os dentes sozinhas, a chamada posição de starkey é uma estratégia que ajudará os pais a explicar aos filhos como devem fazer a escovagem. A criança deve ficar de costas para o adulto, encostando a cabeça na sua barriga. O adulto faz a escovagem dos dentes em todos os sentidos necessários. O ideal é que este processo seja feito em frente a um espelho, para que, além de sentir, a criança possa ver como a escovagem dos seus dentes é feita.

Estas e outras dicas de odontopediatria são transmitidas todos os dias pela Fada do Dente aos pais dos seus pequenos pacientes, na Clínica Hugo Madeira, com mais pormenor e adequadas a cada situação. A Dra. Joana Costa tem formação em odontopediatria e é a dentista certa para orientar grávidas, pais e os seus filhos. Para se aconselhar com esta nossa dentista, que se dedica às bocas dos mais pequenos, marque a sua consulta.